Recipac
Associação Nacional de Recuperação e Reciclagem de Papel e Cartão

Para que as embalagens de papel/cartão possam ser recicladas – uma prioridade para o cumprimento das metas comunitárias – é necessário que os resíduos de embalagens de papel/cartão cumpram com determinadas características que permitam o seu encaminhamento para a Indústria da Reciclagem, com a finalidade de fabricar novos produtos.

A RECIPAC adoptou as Especificações Técnicas, baseadas na EN 643.

A publicação do despacho da publicação do Despacho nº 15370/2008 de 3 de Junho aprovam as Especificações Técnicas para os diversos materiais.


Produtos desejados para Reciclagem:

  • icon_embalagensCartaoCanelado.jpgEmbalagens de cartão canelado;
  • icon_embalagensCartaoCompacto.jpgEmbalagens de cartão compacto;
  • icon_embalagensEcal.jpgEmbalagens de cartão para alimentos líquidos (via contentor amarelo);
  • icon_embalagensPapel.jpgEmbalagens de papel.

São produtos recusados todas as embalagens que contenham: 

  • produtos orgânicos;
  • restos de alimentos (no caso das ECAL, excluem-se desta classificação os resíduos dos líquidos do enchimento original - por exemplo: leite e sumos);
  • cimento ou que tenham sofrido um tratamento com betume ou alcatrão;
  • metais, cordéis, vidro, têxteis, etc.

icon_embalagensTexteis.jpgicon_embalagensOrganicos2.jpgicon_embalagensOrganicos.jpg 

A presença destes elementos nos lotes de papel/cartão a reciclar tem como consequência:

  • danos no equipamento de reciclagem;
  • interrupções na produção dos produtos fabricados;
  • perda do valor do produto final.

São produtos proibidos todas as embalagens que tenham contido:

  • produtos perigosos;
  • resíduos hospitalares;
  • insecticidas;
  • venenos, etc.

icon_embalagensVenenos.jpg


A presença de uma única embalagem com estas características produzirá automaticamente a rejeição de todo o lote.